sexta-feira, 3 de julho de 2009

Que coisa... É sempre assim.


Eu, definitivamente, não tenho saco para populismo, modinhas, aldeias, grupos, estilo, igualdade, pluralidade de um jeito singular. Também, puxar saco, venerar, admirar pessoas que não mudaram a minha vida e coisas do tipo me deixam entediada.

Tenho um grande problema (se é que isso seja um problema, quanto mais, grande. Enfim!). Achava lindinho, estilo, diferente, descolado, legal... Aquele tal grupo, os indies. Eles eram aparentavam ser blasé, nada fedia nem cheirava eram apenas eles e pronto. Na verdade, eles me divertiam, se acham superiores da sociedade e na grande maioria, quando não cantores, entram na faculdade de comunicação social. Mas que merda, gente! Por que as pessoas têm cair no pecado e ficar na mesmice e se vangloriar e ficarem nojentas! Um dia desses, passeando por ai (na internet), eu vi uns fotologs desses indies, GENTE DO CÉU! Que desgosto.

O que faz a pessoa não é a capacidade de se vestir bem, porque isso é o reflexo (mais legal) do que tem por dentro (UAU! Ignorem a minha filosofia barata de internet...) e não o contrário.

Que seja! Eles viram moda (?), o que mais importa é a capacidade de causar, de ser importante, de ter um título de ser copiado e admirado. Sem mais quê nem por que. Deixaram a verdadeira personalidade do estilo, ou melhor, gênero. E lá e vai mais um grupo na enxurrada do modismo da sociedade, triste. Que decadência. Eu tinha até um carinho por grande parte deles, eram divertidos e curtem umas músicas legais. Pobres coitados, vítimas do popular, esquecidos pelo estilo de ser, vencidos pela capa.

Adeus!


P.s: Tá vendo, até fiz um post especial pra eles...

Um comentário:

Márcio disse...

Aloha!!!
Bem, a palavra indie rock vem do termo rock independente, de origem da língua inglesa.
O indie já existia há muito anos-luz, mas como a mídia precisa sempre de algo "novo" para ganhar dinheiro - através de um sistema alienatório - viu que a verdadeira causa e motivo da existência do indie não iria trazer benefícios. Dessa forma, rotulou o indie como um estilo de vida para os jovens de todas as classes sociais, dando-lhe uma nova roupagem. Aí você já sabe, né?! Acontece o tal do modismo. E a sociedade engolhe de maneira fácil.
Concordo com você quando os chamam de "pobres coitados". Realmente, eles são vítimas do popular, ou seja, do modismo que é elatado, engarrafado ou até mesmo empacotado pela mídia da tarde e do horário nobre.
Acredito na verdadeira ideologia indie. Mas, também sei me posicionar, principalmente porque o "sistema é mau".

Abraços