terça-feira, 5 de janeiro de 2010

Remoto.

É numa hora dessas que eu me sinto um tanto incapaz. Digamos... Meio que fora do meu controle. Não sei como por em ordem, ou por em ajuste, ou sei lá... Fazer como tenho vontade.

Queria poder ter um controle sobre isso. Na verdade se pudesse ter um pedido apenas, seria o de ter esse controle.

E aparece assim, quando tudo parece estar no lugar. Quando há brisa, quando não bem nada fora do eixo... Lá vem de novo e tira tudo do lugar como um vendaval.

Pois então... Queria poder ter o poder de ter controle sobre o que eu sinto. Apertar um botão e mudar de canal; mudar de pessoas; mudar a freqüência do sentimento. Pra poder me livrar desse filme repetido que insiste em não querer sair de cartaz.

2 comentários:

Erica Ferro disse...

Mas talvez essa seja a graça.

Rosemildo Sales Furtado disse...

Acredito que a partir do momento que te permitires um tempinho para reflexão, e partires para a autovalorização, com certeza decidirás apertar o botão e o filme automaticamente sairá de cartaz.

Beijos,

Furtado.