quarta-feira, 11 de novembro de 2009

Todavia tudo certo, mas



Tudo certo, tudo lindo. Poderia sim. Você é. Eu também quero, mas... Mas é esse "mas" que me dói. Não termine a frase, não ponha, mais uma vez, pra fora toda essa ladainha de que: poderia sim, mas. Mas alguma coisa não é.

E já a ouvi mil vezes e mais mil vezes. E seria apenas mais uma vez. Mas, mas, mas, mas. Fiz uma coleção deles ao longo dos anos. Não sei mais o que fazer com eles.

Gosto, mas...; Está tudo certo, mas...; Eu queria, mas... Mas, mas, mas

Sempre há um "porém" pra não ser o que antes parecia, enfim, perfeito.

Prefiro que não me diga mais um deste, eu prefiro acreditar que era tudo impossível e estava tudo errado, que não daria certo e tudo mais. Melhor que ficar dias perguntando-me inutilmente o motivo. Por que diabos esse "mas" vou se meter na nossa história.

Não quero mais essa coisa de "mas" e "porém".

Eles são sacanas, te deixam com a idéia de que faltou algo.

Tudo sim, mas por que não?

Mas, mas, mas, mas, mas, mas... Mas e agora sou eu quem não quero mais. E sem mas nem porque.

3 comentários:

Andressa disse...

Tem sempre um porém...
nada nunca está completo né?
adoro seus textos. um grande beijo.

Erica Ferro disse...

O mas é tão irritante quanto o quase. =/
Mas (lá vem de novo) parece que são sempre constantes e 'intiráveis' das nossas vidas.

Fico feliz que tenha ficado feliz com a postagem do teu texto no Pensamentos Devaneantes. ;D

Beijo.

Talita Prates disse...

E é, viu!
Tantos mas...

Trocar o mas por mais:
não é boa idéia?

Bjo, Tai!