sexta-feira, 7 de agosto de 2009

Duas palavras.

Apenas duas palavras minhas, e mal conjugadas, podem deixar-te no chão. Duas palavras minhas podem te deixar fraco, acabado, dolorido, magoado, envergonhado, um pouco rejuvenescido, feliz, aliviado, chocado... Quer saber, se eu te falar as minhas duas palavras eu posso até te matar.

Mas, como sou uma boa pessoa mantenho-me calada. Quero te ver assim intacto. Não vou nem pensar mais nestas duas palavras. Não adianta querer saber, eu não quero pensar no resultado. Abro a boca e fecho, quando termino verei você, ai parado, feito uma estátua de pedra idiota, com os pensamentos tão lavados que mal consegue lembrar-se de respirar de tão besta.

São palavras mágicas, aparentemente, mesmo que sejam tão banais hoje. Mas vejamos, não quero te torturar, já disse vou manter-me calada.

Sim, quer mesmo saber? Eu digo: cai fora!

-
Ah, o que foi? Por acaso pensou que eu ia dizer que 'te amo'? Boboca!

4 comentários:

Cleyton Cabral disse...

Perfect! Essas palavras são de uma utilidade... em determinados momentos. E o melhor é a sensação de superioridade que dá depois. Né? Beijos.

Ricardo Maciel disse...

Há uma velha fresa (clichê) que diz:
Cada pessoa tem o que merece.

Mas também há uma outra fase que diz:
Quanto maior seu poder, maior suas responsabilidades.

Acredito que ter o poder de afetar o outro com palavras é uma grande responsabilidade. Devemos saber usar o poder que temos para que não sejamos solitários donos do mundo.

Muito legal!
Nos faz refletir.
Parabéns.

Flor disse...

Tem selinho pra vc no meu blog. Passa lá. Beijos.

Emerson Souza disse...

Bom,
Ele pediu.