domingo, 27 de setembro de 2009

depoimento

Como escrever um depoimento pra ti quando dominas tão bem as palavras e eu não tenho habilidade nenhuma com elas? Eu espero que a sinceridade nesse caso seja suficiente, pois é tudo que eu posso te oferecer.
Para qualquer um que te conheça é fácil notar que tás longe de ser uma pessoa comum, e para todos que buscam alguém “normal”, é porque já abriram mão do excepcional. Do momento em que eu te vi pela primeira vez eras a famosa “gêmea”, logo se notava que amavas o ballet e isso era a tua vida, o que sinceramente é lindo. Depois descobri que também escrevias e me impressionei com a facilidade que tinhas te tornar uma idéia simples ou repetida em algo tão leve e interessante. Com isso deu pra perceber que tavas naquela classe especial de pessoas que pouquíssimos alcançam e os que alcançam de certo tem dentro de si a grandeza potencial, entendi que eras uma artista, e não há discussão ao afirmar que a arte é a maior conquista da humanidade.
Mesmo sendo integrante de um grupo tão seleto, que muitos se consideram parte, mas poucos realmente o são, não usas isso como desculpa para ser arrogante ou te considerar acima de ninguém. O que te torna incrível de mais outra maneira, por isso eu é tão difícil expressar o orgulho de me considerares teu irmão. Mesmo a gente não se vendo freqüentemente (ou nunca...) a irmandade fica, eu gosto muito de ti e era mais ou menos isso que eu queria dizer no depoimento.

(viu, nem ficou tão ruim... é de familia!)

2 comentários:

Erica Ferro disse...

Imagine se ele tivesse habilidade com as palavras, hahaha!
Ficou lindo, amei.

Beijo.

Rosemildo Sales Furtado disse...

"Taí (d)o Nascimento" de um belo e bem coordenado depoimento. O mais engraçado, é que a sua autora desconhecia ter capacidade de atingir o seu intento. Portanto, é partir para o fazer, e não, ficar só no querer.

Beijos,

Furtado.